Postado dia 13 setembro 2018

Devo procurar um Dermatologista ou Cabeleireiro




Atendo muitos clientes (para o dermatologista, paciente) que se queixam de alguns problemas com os cabelos. Muitos identificam parte do problema lendo as matérias aqui no blog. Mas quando procurar um ou outro?


Cada um na sua


Recentemente estava lendo uma matéria, feita por um dermatologista sobre a questão do cabelo e seus problemas. 

Dizia o ditado "cada um puxa sardinha para si"!

Mas como é hábito meu, que vocês conhecem já ha alguns anos, falo o que estudei, estudo, comprovei na prática e adquiri experiência, sem, no entanto, deixar de lado a parte técnico/teórica.


Aproveitando o ensejo, se você ainda não segue, fica aqui os links do Instagram e da minha Fanpage do Facebook, onde eu conto sobre trabalhos, posto fotos e dicas. Segue lá.

Veja bem, o dermatologista é o profissional, que estudou medicina, e posteriormente se especializou em dermatologia. O conceito de dermatologista é:

O dermatologista é o médico especialista no diagnóstico, tratamento e prevenção de doenças da pele, pelos, mucosas, cabelos e unhas.

 Esse conceito está na página da SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia).

O que eu tenho visto na prática desde 2014: o dermatologista está para pele (epiderme, hipoderme...) bem como para aquilo que "não vemos"! Como assim? Explico.

Digamos que uma pessoa tem o cabelo natural, densidade normal, crescimento idem. Mas essa pessoa em um certo tempo começa a ter uma queda de cabelo que foge do padrão natural (sim, todo mundo perde cerca de 50/200 fios dia) e/ou os fios que nascem estão "mais fracos", "mirrados".

Nesse caso a pessoa não mudou sua rotina, não fez químicas agressivas, mas o cabelo está mudando. E aí?

Eu estudei um tempo sobre Histologia e Tricologia capilar, o suficiente para saber o meu limite como cabeleireiro. A questão que tenho ATENDIDO AQUI NO SALÃO é de pessoas que vão no dermatologista/tricologista e continuam com o cabelo com os mesmos danos. Por que?

A questão é simples: cada um no seu quadrado! Você que acompanha o blog ha um bom tempo sabe que já viajei o Brasil atendendo pessoas para tratar do cabelo delas, sabe que sou especialista em recuperar cabelos com danos crônicos, sabe que criei o CRONOGRAMA CAPILAR BRASILEIRO, mas sabe também que não vendo o que não sei e/ou não tenho.

O mais engraçado/interessante disso tudo, é que por conta do grande resultado nos tratamentos e diagnósticos feitos aqui, muitos acabaram postando nas redes me apelidando de "Médico dos cabelos", o que pra mim foi um prazer como reconhecimento e carinho dos cliente, mas não sou médico, não fiz medicina.

O mais lindo é cabeleireiro e dermatologista/tricologista trabalharem unidos. Mas o que acontece é um querer tomar o lugar do outro, ou "não perder a consulta/cliente". Eu já atendi centenas de pessoas que foram ao dermatologista e não tiveram seu problema solucionado, mesmo tendo investido uma boa quantia de dinheiro.

Sei também que muitos dermatologistas já atenderam muitas pessoas que investiram uma boa grana em cabeleireiros e não tiveram resultados.

Veja que já até escrevi uma matéria falando sobre como confiar no profissional cabeleireiro:



Isso se dá ao fato de, no caso do cabeleireiro, este não entender de cabelo e de tratamento, e pro consequência não sabe fazer o diagnóstico correto do que o cabelo precisa e do que deve ser usado, e, no caso do dermatologista, querer fazer o que o cabeleireiro deveria fazer mas não ter conhecimento para isso.

Já atendi muito dermatologista aqui no salão, com problemas com o próprio cabelo, e que não sabia o que fazer. E dermatologista muito bom. Mas a questão é que em 100% desses casos (em que atendi dermatologista) a questão não estava relacionada à uma doença do fio, mas sim à um dano mecânico/químico/psicofísico/ambiental.

Eu, Marlon, consigo diagnosticar uma psoríase, uma foliculite, uma seborreia. Mas nesse caso a minha indicação é para a pessoa procurar um dermatologista. É o que faço nos meus atendimentos. E às vezes a queda pode ser por causa de uma alteração hormonal (olá adolescentes, grávidas, damas na menopausa...), pode ser por uma anemia... Estes são fatores que indico que a pessoa procure um endocrinologista, um médico ortomolecular, um dermatologista...

Mas e quando o cabelo está ressecado, ou seco, ou afinou após uma progressiva, luzes, ou outra química, ou a pessoa está usando um produto "muito bom e caro" mas vê resultado? Opa, olha eu aqui!!!

É nisso que vejo dermatologistas errando: querendo tratar o cabelo, com problemas, que não lhes é afeto quanto ao estudo e técnica que possuem. Inclusive quero aqui me dispor para participar de debate/palestra com qualquer dermatologista sobre essa questão Doenças capilares/Danos capilares. São coisas distintas.

Portanto, se você está com problema no cabelo porque fez uma química e danificou o fio, ou se sua rotina (de esportes por exemplo) tem mudado seu fio, você fez uma progressiva, coloração, luzes, alisamentos, e/ou está usando produtos que não dão o resultado esperado (que inclusive outras pessoas conseguem com o mesmo produto) o profissional indicado para você é o cabeleireiro.

Se você está com uma queda fora do normal (eu sei identificar quando isso está acontecendo, por exemplo), e de repente você passou por parto, está tomando algum remédio por longo tempo, tem hipotireoidismo diagnosticado, anemia diagnosticada, ou suspeita de ter, você deve ir no dermatologista/endocrinologista.

Como eu disse, quando eu atendo uma pessoa, eu converso com ela primeiro, a fim de obter detalhes sobre o problema que ela relata, e o que de fato possa estar acontecendo. E se algo foge, um minimo, da minha área, de dano capilar, e percebo que se trata e uma POSSÍVEL doença capilar ou algo que possa atingir a produção do fio, eu indico os médicos.

Assim também, quando um dermatologista verifica que a pessoa não tem nenhuma doença capilar, após diagnóstico, exame, ou seja lá o que for, da área dele, deveria indicar o cabeleireiro. Mas não é o que vejo acontecer normalmente com as pessoas que atendo aqui.

Eu atendo uma mulher, que faz um tratamento contra queda já bem uns 4/5 anos, e nos 3 primeiros anos que eu a atendi o cabelo "não crescia". Isto porque o médico a proibia de usar produtos indicados por cabeleireiros. Quando ela, escondido do médico, começou a usar NOS FIOS o que indiquei, obtivemos um resultado emocionante.

Isso porque o problema de "doença" capilar dela estava sendo sanado, mas o problema de "dano" capilar não, o que deixava O FIO fraco e quebradiço, e portanto não ganhava comprimento. Depois do resultado, ela contou para o médico e hoje trabalhos juntos, e bem. Ele trata do interno, e eu do externo. E ela, a cliente...feliz da vida (assim como o marido, que a acompanha em ambos os profissionais sempre).

Ah, sobre o Cronograma Capilar Brasileiro, carinhosamente chamado de CCB, que criei, e é como trabalho tratando os fios, eu fiz uma página especial aqui no blog, para você conhecer melhor, vou deixar o link aqui em baixo. E se você quiser ser atendida(o) por mim, estarei à disposição em BH ou nas capitais que às vezes apareço.

Segue o link:

Deixe seu comentário abaixo, é muito importante sua opinião, com respeito melhor ainda. Não tente usar o lado negro da força aqui ok.



Sobre o autor:

Marlon Bruno é cabeleireiro desde 2004 e atua no bairro Belvedere em Belo Horizonte/MG, também em salões parceiros pelo Brasil esporadicamente. Ex-professor de cabeleireiro, é Especialista Master Redken e educador pela marca. Presta consultoria e cursos para empresas e profissionais. Faz do blog Cabelos E Sonhos sua escola virtual onde compartilha o que sabe.