Postado dia 31 janeiro 2012

Escova Definitiva ou Escova Japonesa: O que é?




Por sugestão de uma leitora eis aqui uma matéria que ainda não havia no blog Cabelos E Sonhos. Algo falando somente a tão falada "Escova Japonesa", ou "Escova Coreana" e ainda "Escova Definitiva". Então vamos falar de algo que tem sido buscado aqui no blog para deleite dos leitores.

Eis o efeito esperado



Para adiantar quero logo dizer que é um tipo de alisamento, relaxamento, desondulação química, ou seja, existe química e há transformação no fio. Já falei sobre alisamento e sua diferença para a progressiva em outras matérias confira:


    Segundo estudos que eu fiz no começo da minha carreira existem duas histórias convincentes para o início do alisamento japonês e consequentemente esse nome.  A primeira (a qual eu me filio) é que o alisamento japonês foi desenvolvido no japão não para alisar os fios mas sim para tirar o efeito "cogumelo" dos cabelos daquele país que já eram lisos, ficando assim mais naturais.

    A segunda é que foi um japonês que descobriu um metodo de retirar o frizz dos cabelos das japonesas utilizando-se de um tipo de quimica que deixava os fios baixos e daí então passaram a dar o nome de "escova do japonês" e então escova japonesa.

    Mas nada disso importa, só quis mostrar que sei do que falo.

    Normalmente a escova definitiva, japonesa ou coreana (você escolhe o nome que te agrada) é feita a base de Tioglicolato de Amônia (Ácido tioglicolico + Hidróxido de amônia) ou Thiolamina (Tioglicolato de Etanolamina). Esses agentes são responsáveis por darem a possibilidade de as cadeias de ligações que dão forma ao fio serem realinhadas de forma a agradar o cabelereiro ou o cliente.

    Ao aplicar o produto as ligações ficam mais brandas e ao colocá-las em posição retilínea e neutralizar sua forma o cabelo passa a ter o formato reto/liso. Nesse processo tem-se também o uso da queratina que é o que vai "ajudar" a garantir o brilho, pois sabemos que o brilho vem por a superfície estar mais plana e com isso a luminosidade refletida se torna maior (princípio da física).

    Importante ressaltar que a diferença básica da definitiva para a progressiva é que a progressiva com o passar do tempo acaba por sair e o fio volta ao seu estado original de forma, já a definitiva o próprio nome já diz: não volta!

    Para se saber quem pode fazer ou não a definitiva, coreana, japonesa (quanto nome para a mesma coisa) é necessário o estudo de cabelo por cabelo, cada pessoa é uma pessoa e por isso cada caso deve ser estudado a parte, mas, eu pessoalmente indico a definitiva para aquelas pessoas que tem os fios menos crespos pois o cabelo que cresce é normal e a diferença de raiz e comprimento fica gritante.

    Também não é aconselhável para loiras que tenham o cabelo descolorido com pó descolorante. Também é incompatível com quem já possui relaxamento à base de hidróxidos em geral  (guanidina, sódio, litio) ou relaxamento a base de Henê.


    Gostou da matéria? COMENTE.

    Compartilhe no FACEBOOK  e divulgue a matéria lá.

    Ajude o blog a crescer. Seja fã da nossa página aqui ao lado!

    Siga o Cabelos e Sonhos no Twitter@cabelosesonhos



    Sobre o autor:

    Marlon Bruno é cabeleireiro a mais de 12 anos e atua no bairro Belvedere em Belo Horizonte/MG, também em salões parceiros pelo Brasil esporadicamente. Ex-professor de cabeleireiro, é Especialista Master Redken e educador pela marca. Presta consultoria para empresas e profissionais. Faz do blog Cabelos E Sonhos sua escola virtual onde compartilha o que sabe.

    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...