Postado dia 09 julho 2013

Danos Quimicos no Cabelo




Olá leitores do Cabelos E Sonhos.

Existem vários tipos de danos no cabelo como já exaustivamente falado aqui no blog. Dentre eles está o dano químico, que muitas vezes é confundido com outro tipo de dano, impedindo assim a melhor recuperação do fio que possui esse tipo de estrago.

Anem viu...



O que é dano químico?


Para se entender melhor sobre o assunto é necessário que se faça esta pergunta e, no mínimo, saiba do que se trata.

Muitos responderão que dano químico é quando o cabelo quebra por luzes ou relaxamento. Essa seria uma resposta em sentido estrito, mas em sentido mais amplo?

O dano químico vai muito além do que vemos.

Antes de continuar, e para que você aprenda a diferenciar danos químicos de danos mecânicos e psicofísicos veja a matéria que falei dos outros temas:



O dano químico podemos descrever como  "aquele que muda a estrutura do fio, internamente, de modo que  esta estrutura fique comprometida a ponto de fazer com que o fio fique desgastado e tenha suas ligações abaladas e/ou o cimento intercelular agredido."

Sendo assim não podemos colocar aqui a escova feita habitualmente, ainda que sem protetor térmico, pois esta danifica a parte externa do fio, causando até mesmo fissuras na mesma, não alterando no entanto sua estrutura ligamentar.

Veja alguns tipos de danos químicos assim considerados:

  1. Dano por relaxamento, que é quando o cabelo é desestruturado e seu PH vai acima de 12, 13 e esse cabelo não tem sua estrutura reconstruída;

  2. Dano por luzes/mechas, que é quando o cabelo é clareado além do que deveria, e isso não quer dizer um cabelo ficar branco, pois existem cabelos que não irão passar de um 8.34 e se insistirmos o cabelo irá se desfazer devido ao alto PH;

  3. Dano por progressiva de ácido, por conta da alteração das cadeias de enxofre, ou pontes dissulfetos, que dão forma ao fio, e que posteriormente não são estruturadas novamente. Por isso os cabelos afinal e não voltam ao formato normal;

  4. Dano por progressiva de formol, que no caso ao penetrar no fio causa uma espécie de "sucção" das proteínas contidas no córtex e desestruturam o cimento intercelular, que é o que faz a ligação entre cutícula e córtex.

Cabelos que sofreram danos químicos normalmente ficam opacos, com péssima textura, quebradiços ou quebrados além de darem muito trabalho por conta de não se conseguir dar o melhor visual neles.

Para esse tipo de cabelo somente fazendo cauterizações a frio no salão aliadas à manutenção em casa com hidratações e uso de produtos fortalecedores do fio.

E tem que ser a frio. Se você não sabe quais as diferenças básicas entre uma cauterização a frio e aquela a quente então confira:

Veja e avalie se a frio realmente não é muito superior à quente e deixe seu comentário, caso já tenha feito alguma das duas e conte sua experiência, como também se já sofreu algum dano químico.



Sobre o autor:

Marlon Bruno é cabeleireiro a mais de 12 anos e atua no bairro Belvedere em Belo Horizonte/MG, também em salões parceiros pelo Brasil esporadicamente. Ex-professor de cabeleireiro, é Especialista Master Redken e educador pela marca. Presta consultoria para empresas e profissionais. Faz do blog Cabelos E Sonhos sua escola virtual onde compartilha o que sabe.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...