Postado dia 25 janeiro 2019

Quando fazer a progressiva




É normal querer resolver um problema rápido, com o menor esforço possível e que seja de solução duradoura. Mas na química capilar existem necessidades e facilidades apenas. Pensando nisso traço alguns apontamentos sobre fazer uma escova progressiva ou não.


Necessidade e Possibilidade


Veja bem, fazer uma escova progressiva tem sido algo vendido ha 1 década como solução. Assim como o reflexo ou as luzes eram vendidos na década de 90 e inicio dos anos 2000 como solução aos cabelos brancos para quem não queria fazer uma coloração.


Interessante é que recentemente dei uma entrevista para a Rede Globo Minas falando justamente sobre as pessoas que querem deixar os fios grisalhos e como cuidar deles. Esse movimento tem crescido vertiginosamente nos últimos anos.

Ah, não publiquei sobre a entrevista aqui no blog, como faço, mas no Instagram @cabelosesonhos e na Fanpage do Facebook (basta clicar nos links) eu posto tudo, então quero sugerir e pedir para você seguir lá.

Não é de hoje que falo que luzes e progressiva não combinam. Gente, não estou falando daquela pessoa que tem luzes claras com o cabelo só o miojo, fininho, ralinho, que vive quebrando (mas pelo menos ela tá loira né...) nem aquele cabelo de sei-lá-o-quê alaranjado porque fez progressiva antes e não conseguiu descolorir nem aquele que fez progressiva depois das luzes e o cabelo ficou laranja.

Porque ter um cabelo bonito e saudável é muito diferente de ser ter "o que você quis fazer"!

Eu já dei um esboço em outra matéria falando sobre a relação de combinação entre luzes e progressiva no mesmo cabelo, confira na matéria abaixo:



E por que digo "o que você quis fazer"? Porque você chega no salão e pede "quero fazer luzes e uma progressiva" daí encontra uma pessoa que não está nem aí e logo aceita o trabalho! Ótimo, vocês acabaram de se tornarem os melhores Best Friends não é? Até que seu cabelo quebre, fique laranja, afine...

E muitas vezes você só vai perceber isso quando o tempo passa e você percebe essas questões no seu cabelo, afinal você o conhece desde que nasceu! Ou você só começa a perceber a diferença quando vê outros cabelos e começa a comparar o seu...

Mas quando se REALMENTE tem a NECESSIDADE de fazer a progressiva? Isso é bem fechado. Só porque a pessoa não quer se preocupar com o cabelo secando natural não é motivo. Porque tem uns "fiozinhos chatos na frente" também não é motivo. Muito menos porque você vai viajar para a praia e está preocupada em como vão te olhar saindo do mar...

Enfim, cada um faz o que quiser com o próprio cabelo...mas depois não pode reclamar, afinal, reclamar não vai adiantar nada! Mas tenho visto um grande problema: quem reclama depois, são as mesmas pessoas que acabam por fazer algo pior tentando melhorar o que está ruim, para, no mínimo, voltar ao que era antes da progressiva. E assim segue a saga até alguns chegarem aqui no salão desesperados.

Na minha opinião, uma necessidade de se fazer uma escova progressiva é quando, por exemplo, a pessoa tem o cabelo de uma forma e quer abranda-la. Exemplo: a pessoa tem o cabelo anelado fechado, quer continuar com ele anelado mas bem aberto. Ou quando a pessoa não está conseguindo escovar o cabelo, por ser grosso e não tratado, ou por ter um fio muito umectante de forma que faz escova pela manhã e à noite nem parece ter feito.

Se seu caso tem sido o citado logo acima, sugiro que leia a matéria que vou deixar abaixo, onde ensino como deixar o cabelo liso sem frizz:

Então o que eu oriento, também é o que fiz no meu cabelo, como citei na matéria sobre transição capilar, é que você observe se há necessidade ou se quer fazer apenas por facilidade.

Fez luzes e o cabelo danificou! Progressiva é necessidade? Mil vezes não! É um desastre! Progressiva não trata. Mas tem muito profissional fazendo isso até hoje. E muita gente que acha que está arrasando porque fez luzes, posteriormente progressiva, e saiu do salão com o cabelo liso. Pego cabelos destruídos assim toda semana no salão.

Então, para mim, a progressiva só deve ser feita quando há NECESSIDADE e POSSIBILIDADE de fazer sem trazer dano algum. A necessidade, como eu disse, considero mais a questão da forma do cabelo, quando esse não é definido mesmo tratando-o. E a possibilidade é quando pode ser feito no cabelo sem haver dano, o que descarta a possibilidade de fazer após uma outra química.

Ficou claro?

Caso tenha ficado dúvidas gerais, pois casos pessoais são avaliativos, deixe nos comentários, assim podemos fazer mais matérias e esclarecer mais esse assunto.



Sobre o autor:

Marlon Bruno é cabeleireiro desde 2004 e atua no bairro Belvedere em Belo Horizonte/MG, também em salões parceiros pelo Brasil esporadicamente. Ex-professor de cabeleireiro, é Especialista Master Redken e educador pela marca. Presta consultoria e cursos para empresas e profissionais. Faz do blog Cabelos E Sonhos sua escola virtual onde compartilha o que sabe.