Postado dia 24 junho 2014

Acido glioxilico em escovas é proibido pela Anvisa




Sempre procuramos pesquisar algo que nos interessa já reparou? Assim acontece comigo quando o assunto é cabelos. E já aconteceu de pesquisar e ter posição sobre algo que anos depois acabou mudando. Mas algo que já falava a mais de 2 anos está agora escancarado: o ácido glioxílico foi proibido pela ANVISA.


Glioxílico e chapinha, na na ni na não...

Não tenho muito o que falar. O ácido glioxílico foi proibido pela ANVISA (Agencia Nacional de Vigilância Sanitária) como agente alisante.


Conforme o site da mesma afirma, o ativo é usado para ajuste de PH e tamponante, mas vem sendo largamente usado como agente alisante em progressivas, botox, realinhantes e afins.

O barato é que quando eu falei a primeira vez sobre o acido glioxílico aqui no blog até ameaças por telefone no salão onde trabalho eu recebi. Como seu eu tivesse medo de empresa grande!!!

E agora que vou falar mesmo. Para quem ainda não leu sobre o ácido glioxílico, na primeira matéria do blog veja:



Está claro no site da ANVISA (como pode ser visto na imagem abaixo) que produtos que contenham ácido glioxílico como agente alisante associado ao uso de chapinha (alta temperatura) está irregular e deve ser denunciado.



Lembro que quando saiu a matéria do Fantástico falando do ácido e de algumas marcas, o blog no dia seguinte dobrou de visitas. E como eu não assisto a Rede Esgoto, não fiquei sabendo da matéria e só fui publicar algo 2 dias depois de tanto me perguntarem.

Quando falei também da Portier e da Cadiveu muita gente reclamou, muitos que se diziam cabeleireiros, técnicos, químicos, me mandaram email xingando (sem se identificarem), ameaçando.

Mas e agora? A ANVISA foi bem clara.

O que tenho visto largamente aqui no salão (pelo menos umas 15/20 pessoas novas todos os meses) são pessoas que procuram por tratamentos para cabelos danificados por progressivas com esse ativo.

E temos tido ótimos resultados com cauterizações e recuperações no salão e em casa, o que tem levado as pessoas a acreditarem cada vez mais em nós.

Eu faço progressiva também. Não faço de ácido glioxílico por motivos óbvios. Também não faço progressiva onde tenho que misturar formol na sua fórmula, pois isso também é proibido pela ANVISA.

Eu uso aqui uma progressiva que não tem ácidos nem formol na sua composição descrita no rótulo (embora o vendedor já tenha dito que existe formol na fórmula), e não adiciono formol nela, também por motivos óbvios.

E para divulgar ainda mais o que não queriam, veja também uma matéria onde expliquei o que ocorre com um cabelo quando se faz uma progressiva de ácido glioxílico nele (detalhe: a matéria já tem 1 ano e meio):


Se você quiser conferir a veracidade do dito aqui em relação à ANVISA entre no site da mesma e procure na seção Cosméticos, a matéria está estampada lá.

Observe que no canto superior direito do blog aparecem anúncios de lojas que vendem escovas progressivas de ácidos e as escovas estão com preços bem baixos, as mesmas que a 2 anos atrás estavam R$500,00 pra cima. Estranho não?



Sobre o autor:

Marlon Bruno é cabeleireiro a mais de 12 anos e atua no bairro Belvedere em Belo Horizonte/MG, também em salões parceiros pelo Brasil esporadicamente. Ex-professor de cabeleireiro, é Especialista Master Redken e educador pela marca. Presta consultoria para empresas e profissionais. Faz do blog Cabelos E Sonhos sua escola virtual onde compartilha o que sabe.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...